sábado, 19 de dezembro de 2009

Inferno para os canhotos.

A igreja católica tem colaborado ao longo da sua história com diversos desvios doutrinários que deixaram sequelas em um número incontável de vítimas.
Meus pais eram católicos e eu nasci dentro de um contexto onde o mundo católico imperava e influenciava muito mais que hoje, nas atitudes do governo, da sociedade e das famílias.
Um fato curioso e lastimável.
Estava eu lá com os meus seis anos de idade quando entrei pela primeira vez numa escola.
Me lembro que o Grupo Escolar Prof Benedito Tolosa tinha em seu pátio salas de aula de madeira, separadas por árvores; eram salas independentes com grandes quadros negros.
Nos primeiros dias as novidades faziam parte de um mundo novo que mexiam com a minha curiosidade.
A melhor parte era sempre a hora do recreio; eu levava na lancheira pão com manteiga e uma deliciosa limonada que sempre ficava com o gosto do plástico do recipiente; eu adorava.
Comecei a ter problemas.
Eu não entendia porque a professora insistia em me fazer segurar o lápis com a mão direita; era eu segurar o lápis com a mão esquerda e lá vinha ela falando coisas que eu não podia compreender.
No começo ela arrancava da minha mão, depois começaram os berros, depois as agressões físicas.
Num dia ela me bateu com uma régua enorme na mão esquerda, noutro dia fiquei ajoelhado em grãos de milho na frente da sala, e no dia em que mais riram de mim, ela amarrou um lápis com um cinto em minha mão direita. Os dois primeiros anos foram assim, depois foram me deixando em paz.
Eu não sabia porque ela fazia aquilo só comigo; aquela mulher me deixava apavorado.
Mas o que fazer, os pais confiavam totalmente nos professores para a educação dos seus filhos.
Num daqueles dias fui para casa chorando, levando um bilhete que a professora mandou entregar para o meu pai; eu nem podia imaginar...
No bilhete a informação de que meu pai tinha um filho canhoto e rebelde, e que de acordo com os ensinamentos da igreja católica, estava contra Deus; e junto o versículo bíblico justificando: Então, o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
Meu pai ficou arrasado, era altamente preocupante para ele, mesmo que eu não fosse considerado pagão, pois eu tinha sido batizado por um padre.
Os católicos sempre foram bons em criar fórmulas para purificar o povo, a inquisição é uma das grandes vergonhas dessa igreja. Tive a infelicidade de nascer nesta fase onde as pessoas eram levadas a crer que os canhotos já tinham em si a disposição de ficarem contra Deus e os ensinos da santa igreja católica.
Meus pais ficaram aterrorizados com essa idéia.
Imediatamente obedeceram a professora, e quando eu ia fazer a lição de casa me obrigavam a ficar com o lápis preso à mão direita por um pano.
Tive que superar a fúria da professora, dos dogmas, e o desgosto dos meus pais.
Por causa da opressão, o tempo para mim passou lentamente e dolorido.
Tive muitas dificuldades, mas depois de seis anos completei o primário. Venci.
Nunca conseguiram mudar o fato de que nasci canhoto.
Dentro do meu coração, ficaram as cicatrizes das feridas que a maldição dos desvios doutrinários de uma igreja prepotente me causaram.
Sofri as penalidades de uma igreja que se diz detentora das chaves do céu e do inferno, mas que tem apresentado um evangelho próprio e fraudulento. A doutrina do purgatório anula a cruz de Cristo; ensinam as pessoas que existem outros intercessores, e não somente o Único e Verdadeiro caminho que é Jesus Cristo e mais ninguém.
Muitos crentes, por não terem intimidade com a palavra de Deus, e não conhecerem melhor os meandros católicos, acham que eles são irmãos dos evangélicos, mas não, isto não é possível.
Os líderes católicos sofrerão maior juízo.
O papa mesmo se posicionou e deu o seu veredito: Fora da igreja católica não há salvação.
Esta declaração pública me dá o direito de me posicionar publicamente também.
O ex-padre Aníbal passou pela conversão quando ainda fazia parte do clero. No livro onde conta o seu testemunho ele diz: Foi impossível conciliar a batina com a conversão. Aníbal se tornou um pastor batista, e escreveu livros como: Pode um católico salvar-se?, Mãe Aparecida, Católicos pentecostais, essa não! etc...
O evangelho é a identidade do servo de Deus; os católicos adulteram a palavra de Deus, se continuarem assim nunca terão a sua identidade autenticada por Deus.
O apóstolo Paulo, em relação aos judeus disse: A boa vontade do meu coração e a minha súplica a Deus a favor deles são para que sejam salvos. Porque lhes dou testemunho de que eles tem zelo por Deus, porém não com entendimento.
O mesmo eu digo dos católicos: Eles tem zelo por Deus, mas sem entendimento. Então, a minha oração a favor deles é para que se convertam e se salvem.
Pouco tempo depois que terminei o primário meu pai se converteu, depois a minha mãe, e gradativamente a família.
Meu pai tinha um amigo espanhol que se chamava Antonio Martinez que o convidou para conhecer os crentes, e assim meu pai entrou pela primeira vez numa igreja evangélica, era a igreja evangélica Batista de Casa Verde, que tinha Walter Kashel como pastor;
se converteu, largou o vício da bebida, e graças a Deus o evangelho verdadeiro entrou em nossa família.
Agradeço, louvo, amo e glorifico a Deus pela conversão da minha família.
.
Algo grotesco que ficou para a posteridade, é a foto da minha formatura onde me obrigaram a segurar o lápis com a mão direita só para sair na foto,,,,,,,e completaram: Sorriiiiiiiiiaaaaa!!!!!!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Sentimentos

Os sentimentos legítimos ou circunstanciais vem e vão.
Chamados ou não, eles virão.
Bem-vindos ou não, eles virão.
A vida reserva para si as surpresas.
Não temos opção.
Amor, indiferença, ódio; sentimentos que se opõem.
Decidi amar, decidi perdoar, isto é opcional.
Mas os sentimentos pulsam.
Sentimentos agridem, invadem, confundem.
Sentimento é força, é energia.
Energia que movimenta o nosso mais profundo.
Força que arranca de nós o desconhecido.
Quando se pensava que era forte, aí vem os sentimentos; mexendo e remexendo em nosso íntimo.
Quem é forte?
Quem se conhece o suficiente?
Quem pode prever a força dos sentimentos?
É força surpreendente.
Cultivarei em meus sentimentos o amor e o perdão.
Forças insuperáveis.
Por estes sentimentos fui conquistado por meu Deus.
Amor e perdão.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Vírus.

Na terça feira dia oito, meu computador foi afetado por um vírus da espécie: Andar em círculos.
Ele iniciava o trabalho, começava as funções e voltava ao início.
Fazendo uma analogia....
O vírus é o pecado.
O diabo é o hacker.
O inimigo está o tempo todo bolando formas de instalar o seu vírus em nós para que funcionemos mal, para nos fazer "andar em círculos".
De muitas formas o inimigo camufla os vírus no mundo para aguçar a nossa curiosidade, e nos infeccionar com a aparente inocência das suas táticas hacker satânicas.
Mas....
O Senhor trabalhou para instalar em nós o Espírito Santo que é o antivírus espiritual, e assim nos deixar livres para navegarmos a nova vida em Cristo.
Glória a Deus!
O virulento infectou o meu computador para me irritar, mas acabou me dando a idéia desse texto; simplizinho sim, mas que glorifica ao Senhor Deus que é totalmente benigno.
Vírus, vírus, virous, o inimigo se lascous ! kkkkkkkkkkkkkkk

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Alegria no perdão.

(quando eu e minha filha nos desentendemos e depois nos perdoamos)

Perdão.
Que palavra maravilhosa.
Quanto segredo contido.
Segredo que é desvendado quando praticado.
Perdoar, ser perdoado, atitudes que curam.
Tranquilizam nossa alma, todo o nosso ser.
Quanta esperança existe no perdão.
Quanta alegria proporcionada.
Num simples ato de perdoar.
Talvez não tão simples.
Mas o resultado que o perdão oferece traz paz ao coração angustiado.
Ter a mente de Cristo é ter a capacidade do verdadeiro perdão.
O perdão revive o espírito amargurado e abatido.
Aquele que já não esperava mais nada, é num instante revigorado pelo poder que o perdão exerce.
Que bom ser perdoado.
Que bom saber perdoar.
O perdão tem sabor de vida abundante, sabor de vitória, tem o ingrediente da felicidade.
Força tremenda e penetrante a do perdão.
Perdoar e ser perdoado, que bom!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Carlos Chura.

Ano de 2003.
O ministério hispânico crescia e se fortalecia.
Wiliam, Ricardo, Jane e Odete eram os servos fiéis a Deus e meus companheiros naquele que era um trabalho com as características da igreja primitiva; simplicidade, comunhão e curas da alma e do corpo.
Os quatro irmãos valorosos trabalhavam com todo amor.
Faziamos escola dominical e culto.
Naquele domingo, como de costume cheguei mais cedo para dar aconselhamentos e receber o povo.
Antes dos trabalhos sempre havia para todos, bolachinhas e um delicioso chá, preparados pelas irmãs Odete e Jane.
O trabalho deste domingo foi muito especial para mim, pela primeira vez tive o previlégio de apresentar um bebezinho quéchua ao Senhor.
Todos os domingos eram marcados com a presença de chilenos, bolivianos e peruanos; haviam também os que vieram da região andina, e estes só falavam quéchua ou aimará; e muitas crianças.
Recebemos também um grupo folclórico andino, com suas grandes sampoñas e charangas, uma maravilha, fomos todos muito abençoados.
Mais um domingo, mais um dia dedicado ao Senhor.
Na saída, as crianças comiam o restante das bolachinhas, e vinham sorridentes me abraçar e beijar, me deixando com o rosto cheio de farelos; uma festa.
Mas, algo estava reservado para este domingo.
Rebeca e Mário me chamaram de lado, estavam tristes.
Rebeca me disse que seu netinho Carlos de dois anos tinha estado internado por quatro dias no Hospital do Mandaqui, a desidratação o pegou e ele estava numa situação muito preocupante, com a cabecinha toda furada pelas agulhas.
Rebeca chorava enquanto dizia que o médico mandou o menino para casa mesmo assim; estava com medo que seu neto morresse.
Rebeca segurou em minhas mãos e me pediu que fosse orar pela criança.
Por volta das dezessete horas, eu a irmã Odete e Jane fomos na casa do pequeno Carlos.
Quando lá chegamos fiquei surpreso, haviam cerca de vinte pessoas aguardando; eram parentes que se uniam naquele momento de dor.
O ambiente era de silêncio, todos se compadeciam da família de Carlos.
Muitos rostos que eu não conhecia ali estavam, e antes de orar, testemunhei do poder de Deus, da Sua misericórdia e de que não havia impossíveis para Ele.
Eu ainda não tinha visto o garoto, ele estava no quarto.
Seus pais me falaram que as palavras do médico, foram de que tinham feito todo o possível.
Mandei que trouxessem o menino; ele estava enrolado em um cobertor, rostinho amarelo, fraquinho e desfalecido, a cabecinha raspada.
Meu coração encheu-se de amor pela criança; segurei o choro.
O pai do menino sentou-se no sofá com a criança no colo, todos ficaram em pé.
Peguei um óleo que sempre carregava comigo, ajoelhei-me, ungi a cabecinha do menino e supliquei ao Senhor Jesus que escutasse a nossa oração para a cura da criança.
Após a oração pedi que confiassem no Senhor.
Embora a situação parecesse a mesma, um sentimento de paz me confortava e dizia: Espera!
Já estava próximo o culto da noite, e assim, convidei as pessoas para irem comigo na igreja. Os pais da criança ficaram.
Rebeca e Mário moravam juntos com seu filho, nora e o pequeno Carlos.
Terminado o culto da noite, dei carona para Mário e Rebeca, e quando parei em frente a casa, nos chamaram para dentro.
Para a nossa alegria vimos o pequeno Carlos que brincava na sala, já tinha comido e pulava e corria como toda a criança peralta e saudável faz.
Disseram que logo que saimos o menino despertou e pediu papas fritas (batata frita).
Com o coração feliz oramos agradecendo ao Senhor Jesus.
Me lembrei da oração que fiz nas primeiras horas daquele domingo: Senhor, usa-nos!
Recentemente visitei a família de Rebeca, e lá estava, hoje com oito anos o menino Carlos Chura, forte, com uma cabeleira negra.
Irmã Rebeca me disse num belo espanhol: Hermano Antonio, te acuerdas de este mi nieto que iba a morir y Dios le sanó?
E assim, relembrando os fatos, confirmamos em nossos corações a bondade do Senhor.
Depois da cura de Carlos, seus pais que estavam desviados do Caminho, voltaram para o Senhor e estão firmes.
Aleluia!
O Senhor merece ser honrado.
Ao Senhor e Deus das misericórdias: Amor, Glória e Louvor!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Escolhas

Quando nos olhamos no espelho.
Quando sozinhos refletimos.
Como nos vemos?
Como é para o Senhor nossa imagem espiritual?
Temos nos esforçado?
Em que mundo estamos semeando?
Para qual senhor estamos dando lucro?
Somos agentes da paz de Deus?
Entender que o Espírito é Santo, e que não pode conviver
com alguém que deliberadamente age a favor do inimigo.
Loucura?
Relaxo?
A loucura tem o atenuante de não ser norteada pela razão.
O relaxo tem o agravante de poder escolher, mas adapta sua escolha.
Nosso comportamento deve ser definido pelas palavras de Jesus.
Desejar ao próximo o que desejo para mim.
Desculpas dizem: Todo mundo peca!
Deus não justifica atitudes contumazes de pecado.
Não podemos burlar a Graça.
A placa de retorno à frente, nos da a oportunidade de
mudarmos o caminho errado que havíamos pego.
Confie na Graça, mas não abuse dela!
Na conversão ocorre o milagre do início da mudança, e a nova vida
deve nos impulsionar no sentido crescente da santificação.
A Graça é maravilhosa, mas as obras escrevem a nossa história.
Obedecer a Deus é lutar contra o assédio do pecado.
A luta do Espírito contra a carne provocará em nós sentimentos antagônicos.
Não poderemos decidir como vamos nos sentir.
Mas podemos decidir como vamos nos comportar.
Escolhas para mim.
Escolhas para você.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Louvai ao Deus Eterno! Sl 148

Aleluia!
Louvai ao Senhor todos os que estão nos céus.
Louvai-o nas alturas.
Louvai-o todos os seus anjos.
Louvai-o todos os exércitos celestiais.
Louvai-o sol e lua.
Louvai-o todas as estrelas brilhantes.
Louvai-o céus dos céus.
Louvai-o as águas que estão acima dos céus.
Que todos louvem o nome do Deus Eterno.
Pois Ele deu ordem e foram criados.
Ele mandou e foram firmados para sempre,
fixou-lhes uma ordem que não passará.
Louvem ao Senhor os que estão na terra,
seres marinhos e todas as profundezas do oceano.
Louvem o Eterno relâmpagos e chuva de pedra, neve e nuvens,
ventos fortes que obedecem à Sua ordem.
Louvem a Deus colinas e montanhas, florestas,
e árvores que dão frutas.
Louvem ao Senhor todos os animais, mansos e selvagens.
Louvem ao Eterno passarinhos e répteis.
Louvem a Deus reis e todos os povos, príncipes e
todos os juízes da terra.
Louvem ao Eterno moços e moças, velhos e crianças.
Todos louvem o nome do Deus Eterno, porque o Seu nome
é maior do que todos os outros.
Ele exalta o poder do Seu povo, o louvor de todos
os seus santos, dos filhos de Israel, a quem Ele ama.
Aleluia!
Louvem ao Deus Eterno!
.
.
.
Louvo ao meu Senhor e declaro o meu amor.
Ao Deus meu Criador, e agora Salvador.
Aleluia!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Que daremos?

O que daremos a nosso Deus?
Nossa aparência maravilhosa?
Nossas idéias, nossa ajuda?
Nossos maravilhosos conhecimentos acadêmicos?
Não!
E nossos medos?
E nossas dúvidas?
E as nossas fraquezas todas?
Não!
Nosso Deus é que é Maravilhoso.
Sofremos a enfermidade do pecado.
Muitos de nós construimos em nossa mente, os muros que nos protegiam,
mas que nos aprisionavam.
Pecado maldito!
Quis nos afastar do nosso Deus.
Não conseguiu.
Louvado seja o Senhor por isto!
O amor de Deus frustrou os planos do inimigo irado.
Podemos ainda nos sentir impotentes e frágeis.
Mas nos entregamos.
Sabemos que o valor desta entrega começou Nele.
Estamos indo para Ele.
Cada vez mais, iremos.
Aleluia!

domingo, 15 de novembro de 2009

Olga.

Ano de 2005.
O irmão Valdomiro, um irmão de outra igreja, me ouviu por mais de duas horas a respeito do trabalho hispânico que vinha realizando desde o ano de 1998.
Embora estivesse numa igreja tradicional, as experiências me levaram a crer em um Deus de milagres.
A mão do Senhor estava comigo e com os quatro irmãos que me acompanhavam.
Conversões e outros milagres, tivemos a honra de ser usados na obra.
Uma parente do irmão Valdomiro estava internada na Santa Casa, desenganada pela junta médica.
Olga estava lutando por dois longos anos contra uma infecção hospitalar.
Havia operado o coração e aquele corte no peito não cicatrizava, a carne meio apodrecida não colava e estava coberta com uma telinha.
Conversando comigo, este irmão me pediu para irmos ao hospital e orar por sua parente.
Combinamos para o dia seguinte.
Entramos naquele quarto; a mulher, magra, 53 anos, aparência macilenta; católica, crucifixo a mão.
Depois de ser apresentado, relatei um breve testemunho pessoal e pedi-lhe permissão para orar.
Ungi aquela mulher com óleo, coloquei a mão sobre aquele corte e pedi ao Senhor Jesus que a curasse.
O marido de Olga estava ali, e alcoolizado zombava de nós, estava amargurado.
Passaram-se três meses.
Num domingo pela manhã, mandaram me chamar à porta da igreja.
Valdomiro, Olga e Alcides me esperavam.
Olga estava ali, bem vestida, boa aparência, sorridente.
De momento confesso que não a reconheci.
Nada lembrava aquela figura sofrida e sem esperanças no leito de dor.
Estava ali.
Olga veio ao meu encontro, me abraçou e chorou; chorei também.
Ela me disse que quando saimos do hospital seu peito queimava, percebeu que o corte estava secando, e foi se fechando a cada dia; três dias.
Ela contou aos doutores o que os crentes fizeram.
Os médicos, incrédulos, não chegavam a nenhuma conclusão.
Pela lógica, os tecidos deveriam enfraquecer-se e não se restabelecer.
Não tinham explicação, a mulher estava sã, deram-lhe alta.
Jesus a curou. Aleluia!
Olga estava ali para agradecer, e mais, seu esposo Alcides queria se desculpar.
Naquele dia, no hospital, tinha bebido, estava triste por viver naquela espectativa da morte de sua esposa.
Alcides zombou de nós, mas vendo a cura milagrosa de sua esposa não teve dúvidas, quiz pertencer também a este Maravilhoso Deus.
Olga e Alcides agora servem ao Deus verdadeiro, foram batizados e frequentam a igreja do irmão Valdomiro.
Valdomiro era só alegria, nos despedimos com a fé revigorada.
O Senhor Jesus é Maravilhoso, e nos conduz por caminhos surpreendentes.
Seguro e inabalável segue Deus em seus objetivos.
Glória a Deus!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Cantinho da bagunça.

O Senhor nos faz a proposta.
Ele quer nossa permissão para arrumar a bagunça que existe em nós.
Muitas vezes, inconscientes ou não, relutamos em dar nossa permissão.
Ele quer o nosso espírito desarmado das resistências que O impedem de fazer as mudanças.
Devemos querer, devemos confiar em Deus.
Para arrumar a bagunça, o Senhor tem que mexer em todos os cantos da nossa vida, e vezes sem conta não estamos bem certos se queremos, não estamos dispostos a lidar com a montanha de porcarias.
A maior parte do tempo adiamos o que precisa ser ajeitado agora.
Temos que permitir a retirada do que não presta, coisas que nos apegamos e que nos impedem de dar lugar as de Deus.
Todos temos em nosso íntimo o cantinho da bagunça, onde armazenamos um bocado de tranqueiras, coisas que nos agarramos e que se acumulam; peso morto, nada mais.
Deus quer nos ajudar na limpeza.
Não podemos permitir que nosso medo impeça o Senhor de se livrar do que nos impede de caminhar sem o fardo das mágoas e lembranças mortas que insistem em ressuscitar.
Nossas razões e argumentos ainda tentam se apegar as pequenas coisas.
Temos que dar liberdade ao Senhor para que Ele nos ajude.
Nosso Amigo verdadeiro espera.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

SIÃO.

Os que confiam no Senhor são atingidos, sofrem,
mas não são abalados na sua fé.
Permanecem firmados,
naquele que fez as promessas.
Sabem o quanto vale esperar em Deus.
Tenho a esperança do Senhor.
O caminho pode ser distante e difícil.
Meu corpo está ferido.
As artimanhas do inimigo me esfolaram,
muitas dores me causaram,
mas prossigo.
Sião, estará inda longe?
Seguirei nos caminhos desta vida.
Mas ao final da jornada chegarei ao Monte Sião.
Ali beberei das fontes do Monte Santo.
E enfim, abrigado e seguro, descansarei. Aleluia!

domingo, 25 de outubro de 2009

Predestinados

Ao Pai das luzes eu quero honrar.
Conheci a Deus em meio ao desespero.
Em meio a minha ignorância eu vi a Sua luz.
Quando estava em agonia conheci a bondade do Senhor.
Ele me ajudou.
Posso dizer que tem Alguém aí.
Eu O conheço; pouco eu sei, mas o suficiente para saber que É bom.
Tenho questionamentos e dúvidas que vão muito além da minha miserável ignorância, mas sei que Deus existe e que É bom.
Sinto que minha fragilidade quer me trair, quer me fazer traí-Lo.
Sinto também que algo dentro de mim e que é mais forte que as minhas dúvidas está me sustentando; como não crer Nele?
Quando Ele se revelou a mim conheci a Sua graça e entendi a gravidade do pecado.
Pensava que a vida era simples.
Tenho aprendido que o amor é a única chance
A experiência me diz que posso confiar no Senhor.
Deus se faz presente.
Seguro e imutável, se faz presente a nós que temos somente carências a oferecer.
Os escolhidos conhecem Aquele que provou um amor que não acreditávamos que existisse.
Estaremos no meio da grande multidão que dirá: "O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém!"
Por isto devemos oferecer gratidão ao Deus de toda a glória. "Pois por meio do conselho da Sua presciência nos escolheu e predestinou a fim de sermos para o louvor da Sua glória."
Eleitos, escolhidos, chamados e predestinados para uma vida eterna de glória. Aleluia!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Minha cruz.

Quando nos dispomos a fazer a obra do Senhor, devemos ter a consciência de que podemos ajudar o próximo, sem ter que carregá-lo nos ombros.
Só Jesus carregou o fardo todo.
A cruz de Cristo só ele poderia levar.
Nos foi mandado carregar a nossa cruz, e não a dos outros.
Jesus sabia que só teríamos condições, muitas vezes com dificuldades, de carregarmos nossa própria cruz.
Podemos, e devemos ajudar o próximo, sem assumir o lugar que é deles.
A cruz é simbolo de sofrimento, mas também de perseverança e amadurecimento.
Quando outros fazem todo o serviço não aprendemos nada.
Servir a Deus é ajudar o próximo a aprender a carregar a sua própria cruz.
Ensiná-los que a caminhada, e as experiências do dia a dia fortalecem.
Faze-los ver que muitas vezes, a nossa cruz não é a mais pesada.
O exercício espiritual nos fortalece para carregar-mos o que é nosso.
Se outros se esforçarem em meu lugar, não criarei resistências.
Devo enfrentar aquilo que a vida reserva para mim, ninguém deve lutar minhas próprias lutas.
Me mandaram tomar a minha cruz a cada dia.
O cireneu ajudou a carregar a cruz, mas jamais poderia assumir o lugar de Jesus.
Ajudar não é assumir a cruz dos outros
Também não devo pedir que carreguem a minha.
Jesus me diz que uma cruz é o suficiente para mim.
É o suficiente para você.

domingo, 6 de setembro de 2009

Memórias.

Injusto, vivi longe de Deus.
As lembranças de um tempo perdido de infidelidade, me impulsionaram a querer viver os novos
momentos numa busca consciente e cheia de amor, por Este que é o único merecedor de Glória e louvor.
Agora, viver se tornou um exercício deIterminado em fazer a vontade Daquele que me conquistou com o Seu amor.
As memórias trazem a lembrança de um passado maldito, em que entristeci o Santo.
Mas, também as memórias deste passado não tão distante, querem fazer justiça a bondade de Deus.
E assim, as gratas memórias não me deixam esquecer os beneficios da graça do Senhor.
Me lembram que em algum ponto deste passado, o Senhor me libertou. Aleluia !
Nada poderia ser mais justo que este reconhecimento.
Meu coração se abriu, e fui conduzido ao mundo de Deus.
O meu novo coração realça os valores dos atributos únicos e sublimes do Senhor.
Despertei para a vida, a verdadeira vida, que me acompanhará numa eternidade de glória.
Todo o meu ser se voltou e aí ficará, diante do único e verdadeiro Deus.
Devemos trazer à memória o que glorifica a Deus.
Devemos trazer à memória aquilo que nos da esperança. Lm 3:21
Ao meu Senhor: Glórias para sempre!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Meu amigo Roy.

Dor, foi seu dia meu amigo puro.
O calendário marcou, é o fim.
Rasguei a folhinha, acabou o mês.
Acabou mais uma vida.
A morte não é uma coisa boa.
Deus agirá.
Tristeza nunca mais.
Um dia, separação, adeus.
Sofrimento se foi.
Roy viveu sua vida, passou por este mundo.
Nosso cachorrinho, nós o amamos.
Descansou de suas dores.
A agressão do pecado também o alcançou.
Deus não deixará o inimigo rir para sempre.
A truculência do inimigo tem um gosto amargo.
Não ficará impune.
Nunca se irá safar das suas afrontas, nunca descansará.
Aquele que decretou é o Todo-Poderoso.
Contra Ele quem pode ?
Eu louvo a Deus por Sua natureza de amor.
Deus, como é bom confiar no Seu amor.
É bom saber que o inimigo não sairá ileso.
Deus, é bom saber que nada lhe escapa.
A vingança do Senhor agirá, Seu amor prevalecerá.
Que bom, Deus é amor.

domingo, 30 de agosto de 2009

Homens que o mundo não era digno.. Heb11:38

Anonimos para nós, muitos nomes e rostos, só conheceremos na eternidade.
Hebreus 11: Foram torturados, escarnecidos, sofreram algemas, provações, foram serrados ao meio, necessitados, maltratados, escondidos pelas covas, pelos antros da terra.
1Cor 4: Condenados a morte, os apóstolos tratados como se estivessem em último lugar, espetáculo ao mundo, chamados de loucos por causa de Cristo, tidos como fracos, chamados deprezíveis, sofrendo fome, nudez, sede, esbofeteados, sem morada certa, fadigas, injuriados, perseguidos, caluniados, tratados como lixo do mundo, escória de todos.
2 Cor 6: Sofrendo aflições, privações, angústias, açoites, prisões, tumultos, trabalhos, vígílias, jejuns, tratados com desonra, infamados, tido como enganadores, desconhecidos, morrendo, castigados, entristecidos, nada tendo.
2 Cor 11: Apedrejado, fustigado com varas, sofrendo naufrágio, em jornadas, perigos em rios, perigos de salteadores, perigos entre patrícios, perigos entre gentíos, perigos na cidade, perigos no deserto, perigos no mar, perigos entre falsos irmãos, tendo preocupação com as igrejas, frio.
Atos 21 disse Paulo: Estou pronto não só para ser preso, mas até para morrer pelo nome de Jesus Cristo.
Tiago 5: Irmãos, tomai por modelo no sofrimento e na paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que temos por felizes os que perseveraram firmes.
Hebreus 11: Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé, não obtiveram já as promessas.
Heb 12: Na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue.
Jesus, o exemplo maior. Isaias 52:14 Pasmaram muitos à vista dele, pois o seu aspecto estava desfigurado.
Isaias 53:2,3 Não tinha aparência nem formosura, nenhuma beleza que agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado, homem de dores que soube o que é padecer.
Traido, preso e abandonado.
Vieram com espadas e porretes, chamado blasfemador, cuspiram em seu rosto, lhe davam murros, o esbofeteavam, escarneceram dele, puseram-lhe uma coroa de espinhos, foi chicoteado,
passou a noite sem dormir, julgado, preferiram soltar Barrabás e condená-lo, carregou a cruz, foi pregado naquela cruz, e todo o que era pregado numa cruz era considerado maldito, zombaram dele, deram-lhe vinagre para beber, foi furado com uma lança.
O apóstolo Paulo expressa muito de nossos sentimentos quando diz: Lutas por fora, temores por dentro 2Cor7:5, mas no fim, que bom se pudermos falar como ele falou mesmo em meio as lutas:
2Cor 4:17
Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que não se vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que não se vêem são eternas.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Antonio e Dolores.

Mais dois inscritos no Livro da Vida.
Meu pai e minha mãe.
Duas jóias preciosas, dois servos de Deus.
Honestos, humildes e firmes na fé, tenho a honra de ser sangue deles.
Trabalharam e se desgastaram no cuidado com a família.
Agradeço a Deus por ter tido estes pais.
Agradeço a Deus pela conversão deles.
Meus pais me deixaram uma herança maravilhosa, eterna.
Herança da fé no Senhor Jesus Cristo. Obrigado Senhor.
Me lembro dos fins de tarde quando meu pai sentado no sofá lia a bíblia e cantava hinos
do cantor cristão enquanto minha mãe terminava o jantar.
Para mim o melhor testemunho de cristãos que conheço é o de meus pais.
Que exemplo, que vidas.
Eram pessoas sem escolaridade, pessoas simples, mas que deixaram marcas profundas em mim, tenho saudades.
Sei que um dia estaremos juntos novamente; que bom.
Meu pai e minha mãe, sempre os amarei.
Deus, eu sei que o que fizeste por minha família é muito grande, grandeza digna da Sua pessoa.
Te louvo por minha família, Te louvo por Tua grandeza. Aleluia !

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Limitação e Cobrança.

Limitação e Cobrança se encontraram.
Limitação era esforçada, mas, muitas vezes sentia-se frustrada por não conseguir doar-se um pouco mais.
Cobrança por sua natureza egoísta, não deu chance a Limitação.
Limitação precisava de Cobrança, e a Cobrança precisava de Limitação.
As duas tinham que aprender a se respeitar.
Amargurada e cheia de culpas, Limitação se via obrigada a prosseguir e nunca descansar.
Aquilo que antes Limitação fazia com garra e determinação se transformou num fardo quase insuportável.
Cobrança por sua vez, cheia de manias e recalques foi vivendo sua vida mesquinha de cobranças.
Até quando Deus quiser.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O conteúdo das lágrimas.

Senhor me faltam palavras.
Creio que não se improvisa o amor.
Gostaria de entender tantas coisas.
Minhas angústias me maltratam, eu não as convidei.
Como tirar aqui de dentro o sofrimento que as incertezas causam?
Sei que o Senhor não criou o homem para maltratá-lo.
Me sustente para que a vida que tenho te glorifique.
Confesso que está difícil, ajuda-me Pai Santo.
Não permitas que me faltem forças para agarrar-me a Ti.
Minha confiança é que a Tua força é suficiente.
Senhor, seja em alegrias ou tristezas, quero dizer sempre que o Senhor é o meu Deus.
Qual o valor de cada lágrima que derramo diante de Ti ?, cada uma delas sai de minha alma; saem com mensagens daquilo que quero dizer e não consigo, cada uma contém angústias, dúvidas, espectativas, medos, sentimentos de total impotência que me afligem e levam para o meu exterior em forma de lágrimas aquilo que me sufoca.
Estou esperando que o Senhor traga paz para dentro deste pequenino e frágil ser.
Alivía-me Senhor, coloca em ordem meus pensamentos, equilibra minhas atitudes.
Quero Te glorificar sem impecilhos.
Estou igual a uma criança indefesa, estou esperando que cuidem de mim.
Cuida de mim Senhor .

domingo, 9 de agosto de 2009

Jesus é o tempo da graça..

A graça de Deus proporciona ao homem algo que ele acha difícil de aceitar.
Receber sem dar algo em troca.
Receber coisas boas mesmo tendo feito coisas ruins.
A graça é inaceitável para aqueles que querem dar sua contribuição para ela funcionar.
A mente contaminada pelo pecado reluta em aceitar todos os benefícios da graça.
Nosso instinto e sentimentos de culpa não conseguem digerir algo tão maravilhoso.
Só mesmo pela graça.
O problema é a dívida, posso pagar ?
Saber que a dívida é impagável sem Jesus.
A graça não diz : Toma lá, dá cá.
Ninguém da uma mãozinha para a graça.
Eu comprei tudo o que precisava, sem dinheiro sem nada.
Eu só pedi, me mandaram só pedir.
Alguém pagou o preço da minha boa vida.
Deus facilitou tudo.
Só o amor de Deus pensaria numa coisa assim, ser bom com os maus.
É admirável, vou adorar a Deus por sua graça.
Vou oferecer gratidão a Ele por esta maravilha.
Vou amar a Deus por aquilo que já conheço Dele.
Vou sempre esperar o melhor Dele.
Deus, sua graça me tranquiliza.
O que importa é o homem estar confirmado em graça. Heb 13:9

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Dores que ensinam.

Muitas coisas podemos aprender durante a vida.
Sabemos que a prepotência existe em todas as camadas sociais.
Um dia refleti, estava pensando que a angústia me ensinou a considerar a dor alheia.
Pensava que as dores só eram negativas.
Nunca eu poderia ter uma boa avaliação da dor do próximo se minhas próprias dores não me
maltratassem tanto.
Creio que a tendência da pessoa de bom coração é ser solidária com os que sofrem, e quando
essas pessoas tem ou tiveram experiência com seus próprios sofrimentos, elas certamente compreenderão melhor o seu semelhante.
As dores ensinam, logo são positivas.
Criticar as reações de quem sofre mostra inexperiência.
Criticar as reações de quem sofre mostra insensibilidade.
Para aquele que teme a Deus, as dores são mais um meio de aproximar-se Dele, de buscá-lo ainda mais.
E se as dores me levam a ter uma busca mais intensa de Deus, então posso dizer que são uma benção, não o sofrimento em si, mas o resultado que me faz ter um melhor relacionamento de
dependência Daquele que é tudo para mim.
Deus e eu nos amamos.
Eu, esta pequena criatura, sou especialmente Dele..
Glórias por esta comunhão, mesmo em meio as lutas.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

A morte da razão.

Um dia todos vamos partir, viver, realizar ou não.
Eu marquei minha presença, aqui alguma importância na vida de alguns.
Para Deus, também marquei presença, eu me importei.
Valor é pra quem percebe, falar meio que em código, quem se importa?
Deus me entende muito bem, Ele sabe o que penso.
Para Ele meus paradigmas estão claros.
Na ditadura falava-se em conjeturas, na ditadura da ignorância sobrevive quem diz sem falar.
Sofro pelo que disse, a tirania tirou meus direitos, me oprimiram com seus marasmos.
O amor passou de largo, ombro amigo cadê?
Sobrevivo com as migalhas, a razão está solitária.
Soluço a sós.

sábado, 11 de julho de 2009

O Bipolar de Jesus, sem transtornos.

Bi e Polar viviam juntos.
Bi e Polar não podiam se separar.
Bi e Polar viviam se desentendendo.
Bi e Polar estavam sempre em contradição.
Bi e Polar tinham opiniões bem diferentes.
Bi era o oposto de Polar.
Bi era feliz, Polar era triste e irado.
Bi e Polar que confusão.
Bi e Polar sempre foram mal compreendidos.
Bi que era alegre ficava perplexo com as alterações de Polar.
Bi tentou entrar em acordo com Polar.
Bi queria enfrentar a vida com alegria e otimismo.
Polar achava que a vida era só problemas e desgraças.
O tempo foi passando, Jesus amava Bi e Polar.
As pessoas tinham suas preferências, tratar com Bi era uma maravilha porque seu jeito amável
favorecia o relacionamento, Bi tinha sua forma equilibrada e calma de ser.
Polar ao contrário tinha dificuldades mil, não sabia se relacionar com ninguém, gritava, ficava cheio de ira sem mais nem menos, nem ele mesmo sabia porque se alterava e destratava as pessoas, estava ficando cada vez mais sózinho, todos o evitavam, como conviver com alguém desequilibrado, instável, como confiar, como amar alguém assim?
Polar precisava mudar, vivia entristecendo a todos.
Bi era tratável e estava agindo como Deus queria.
O tempo foi passando.
Um dia eles foram assistir um culto onde ouviram uma pregação a respeito de mansidão, perdão,
domínio próprio, aquelas palavras tocaram o íntimo de Polar.
Polar entendeu que vivia estragando tudo o que Bi queria consertar, e se envergonhou.
Seu amigo Bi foi importantíssimo porque seu comportamento amigável dava o que pensar a Polar.
Polar tomou a decisão de mudar, procurou se humilhar diante de Deus, buscou o perdão do Senhor, reconheceu que era orgulhoso, prepotente, e que era fraco para vencer sózinho tantas tendências más.
De verdade neste momento estava acontecendo algo maravilhoso no íntimo de Polar, ele estava se conscientizando de seus erros e queria ser diferente, precisava melhorar.
O melhor de tudo é que Polar se entregou totalmente a Jesus.
Nesta entrega, Bi e Polar puderam começar a conviver em harmonia porque a mudança que ocorreu transformou Polar em um ser propenso a amar.
Agora Bi e Polar permitem que o Espírito Santo dirija suas vidas, vivem em paz consigo mesmo, com seu próximo e glorificam a Deus.
O temperamento guiado por Deus segue o caminho de Deus.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Mundo deteriorado.

Os cachorros latem sem parar
Infernizam.
As crianças sem freios gritam e fazem dasafôros
Inferno? não!
São só os cachorros latindo sem parar
E as crianças sem freios gritando e fazendo desafôros
Os delinquentes roubam e matam
Infernizam.
Os políticos corrompem e mentem
Inferno? não!
São só os delinquentes roubando e matando
E os políticos corrompendo e mentindo.
Nas igrejas os irmãos maltratam e ironizam
Infernizam.
Irmãos fazem panelinha e acepção
Inferno? não.
São só os irmãos maltratando e ironizando
E os outros fazendo panelinha e acepção.
O inferno não é aqui
Mas a maioria chegará lá.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Declaro a minha culpa.

Impaciente fui injusto com o meu Deus.
Falhei na fé, murmurei, e em meu íntimo diminuí o poder de Deus.
Foquei os problemas e aumentei a dor.
Deixei de contar as bençãos.
As adversidades deslocaram o meu olhar de Deus.
Transitei por meus ridículos pensamentos.
Não considerei os homens que viveram e vivem pela fé.
Não pensei nas bençãos que recebi.
Não olhei as vitórias, me detive nos fracassos.
Me comportei como um derrotado.
Não me inclinei na posição de entrega e dependência.
Percebo que minhas tendências pendem ao fracasso.
Não olhei para Deus, entristeci o Santo.
Não posso concordar comigo mesmo.
Dos sete bilhões que existem, milhões estão sofrendo agora.
Será que uns poucos estão dando graças ?
Eu titubiei, não sou estável, falhei.
Fui medíocre por ter tratado mal a Deus.
Estou convencido que fui injusto com meu Deus.
Ah, minhas atitudes, as tribulações me enfraqueceram.
Meu Deus, sua paciência é maravilhosa.
Dou-te graças por Sua imensa misericórdia.
Te dou graças pelas oportunidades que se renovam.
A cada instante são renovadas por Ti. Aleluia!
Quanta grandeza de tua parte Senhor.
Tanto poder, tanto amor.
Tanto amor por este pecador.
Te dou graças por Seu amor, para sempre Aleluias!

O vaso que não será mais de barro.

Eu, o vaso de barro.
O vaso de barro e o Espírito Santo.
O vaso e o seu conteúdo.
O vaso que não sabe o que tem dentro de si.
O vaso que sabe o que tem dentro de si.
O vaso que acha que não se quebrará.
O vaso que depende que o Seu Dono não o deixe quebrar.
A relação do vaso com o Seu Dono.
O vaso da boca fechada.
O vaso que durante a passagem do tempo quebrou muitas vezes,
mas o Seu Dono o consertou porque era um vaso querido, muito querido.
O Dono do vaso reservou um material maravilhoso, muito especial, para
construir um vaso que nunca mais se quebrará ou sofrerá qualquer dano.
O vaso que se colocar à disposição de Seu Dono um dia será revestido de um material
indestrutível, lindíssimo, construido pelo melhor Artesão.
Senhor Deus, Artesão do corpo, Artesão do novo corpo.
Ao Oleiro Santo e Artesão Santo seja a Glória !

segunda-feira, 22 de junho de 2009

O Senhor levanta o caido

Quem é que vai me ouvir?
Quem quer saber o que penso?
Alguém valoriza o que quero?
Alguém me ama de verdade?
Alguém se interessa?
Até que ponto sou considerado?
Acho que estou me sentindo infeliz.
Estava me sentindo infeliz até que considerei.
Considerei em primeiro lugar o Senhor Jesus, Sua graça, Seu amor, a salvação, a vida eterna.
Pensei, pensei, pensei......
Me peguei numa comparação com os aleijados, cegos, traídos, desesperados, sem esperança, desgraçados pela vida, sem Deus, sem Jesus, sem o Espírito Santo.
Num instante percebi que tenho muitos motivos para ser feliz, ou começar a cultivar pensamentos de consideração a Deus e agradecer e clamar misericórdia por ter um comportamento tão pobre, digno de um ser que não conhece Jesus.
Mas eu O conheço. Aleluia!
O pecado quer roubar o valor das bençãos que recebemos a cada instante, quer roubar o efeito
que a esperança em Deus causa quando estamos com problemas.
Não sou grato, não sou bom, não sou fiel.
Nada seria sem o Senhor. Aleluia!
Eu existo, sou eterno, nada mudará isto.
Te agradeço Senhor porque me trouxeste à existência.
O Senhor faz todas as coisas, e uma melhor que a outra.
Glórias ao Teu bom gosto!
Glórias a Sua vida Jesus.
Sobre todas as coisas, Glórias ao Deus Único!