quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Dionisio Tollin Mamane.

Dezembro de 2005.
Aquela quinta feira amanheceu chuvosa, pensava no trânsito que enfrentaria enquanto me arrumava para o trabalho.
Por volta das 8:30 o telefone tocou, era a irmã Odete do Ministério hispânico.
O Ministério hispânico na Igreja Evangélica Batista de Casa Verde (terceira Igreja Batista em São Paulo), teve início em setembro de 1998.
Irmã Odete era uma das fiéis nesta obra, quando me telefonou estava com Guadalupe em sua casa.
A jovem chilena de 23 anos estava aflita porque o seu marido Dionisio estava internado no Hospital da Cachoeirinha com grave tuberculose.
Faziam dias que os médicos se esforçavam, mas as punções para a retirada da secreção dos pulmões não surtiam efeito, as chapas sempre mostravam os pulmões brancos pela inflamação.
Dionisio e Guadalupe tinham um filhinho, o pequeno Melvin, eles frequentavam o trabalho hispânico em nossa igreja.
Guadalupe estava na casa da irmã Odete pedindo que fôssemos orar por seu marido.
Imediatamente mudei os planos para aquele dia e me prontifiquei para fazer o que o Senhor desejasse.
Chegamos no hospital, na ala dos tuberculosos.
Eu, irmã Odete e Guadalupe entramos no quarto; Dionisio tinha acabado de voltar de mais uma sessão de drenagem dos pulmões para poder respirar melhor; sua pele morena agora estava amarela.
Dionisio tinha um grande curativo do lado direito da costela, era o lugar onde introduziam uma mangueira para fazer a sucção de uma mistura de sangue e catarro.
Falei em particular com o médico, ele me disse que Dionisio demorou muito para procurar ajuda, que seu organismo debilitado não reagia, o médico falou que o paciente estava sufocando pela grande quantidade de líquidos que se formava em seus pulmões, e a insuficiência respiratória prejudicava o coração.
Conversei com Dionisio, ele sabia da gravidade de seu estado.
Dionisio se esforçou e com a voz bem fraca me disse: Hermano yo no puedo morir, tengo que trabajar, somos extranjeros y no tenemos nada, lejos estamos de todos, tengo mujer y uno hijito pequeño, tengo que cuidar de ellos. Pida al Señor, Él puede me sanar.
Por uns instantes passaram por minha mente os momentos de convivência na igreja em que Dionisio, Guadalupe e eu ríamos quando eles corrigiam os meus erros de espanhol, e Melvin junto com as outras crianças vinham me abraçar e beijar na saída dos cultos.
Abri a bíblia na versão de Casidoro de Reina e li o Salmo 33:20.
Nuestra alma espera al Señor; nuestra ayuda e escudo es Él. Por tanto, en Él se alegrará nuestro corazón, porque en Su santo nombre hemos confiado. Sea Tu misericórdia, oh Dios, sobre nosotros, según esperamos en Ti.
Coloquei a mão com um pouco de óleo sobre o peito de Dionisio e orei dizendo: Que seja para a Tua glória o que Te pedimos agora Senhor Jesus; que este óleo represente as Tuas mãos limpando totalmente os pulmões deste jovem.
Quando abri os olhos, vi um largo sorriso em Dionisio, ele dizia; Yo sé, yo creo!
Deixamos o hospital sorrindo e confiantes.
Isto ocorreu na quinta pela manhã; na sexta a irmã Odete deixou um recado me avisando que estava acompanhando Guadalupe até o hospital, Dionisio estava de alta.
Adorei a Deus, e ao mesmo tempo que chorava eu dizia ao Senhor: Te agradeço por poder ser um vaso para a Tua honra Senhor Jesus, Aleluia!
Os médicos fizeram os exames e para surpresa deles, constataram que os pulmões de Dionisio estavam limpinhos e sem a presença do bacilo da tuberculose.
Domingo de manhã.
Encontrei Dionisio, Guadalupe e Melvin na porta da igreja, foram os primeiros a chegar, me esperavam sorridentes. Nada poderia ter sido melhor que começar o domingo daquela forma.
Donisio falava sem parar: Yo sabia, yo creía, gracias a Dios; quiero dar mi testimonio.
As 9 horas o salão onde fazíamos o trabalho estava repleto de uma mescla de quéchuas, aimarás, chilenos, bolivianos e peruanos.
Dionisio ficou na frente do povo com sua família, deu o seu testemunho detalhando os dias de sofrimento, do medo que estava em deixar a família desamparada e como se restabeleceu milagrosamente no nome de Jesus; e com toda a convicção animava o povo a confiar ainda mais no Senhor. Naquele dia em especial, houveram muitas conversões.
Enquanto ele falava eu agradecia a Deus por ver os três abraçados, juntos lá na frente em paz e muito felizes. Assim o Senhor nos unia cada vez mais pelos laços do amor.
Depois do testemunho todos cantamos: Aleluia, aun que somos indignos nuestro Dios presta oídos a nosotros, rebosanos de amor y gratitud, aleja la aflicción y escucha a los humildes. Aleluia!
.
O Senhor é bom.
É benção aos que lhe servem glorificar os Seus feitos.
Que todos os que O amam ocupem o melhor de si para exaltar o Seu amor.
Ao Único, Grande e acessível Deus: Glória para sempre. Aleluia! Amém!

5 comentários:

  1. Dou glória a Deus pela sua vida mais uma vez.
    Tenho certeza que Satanás tentou te ceifar várias vezes, mas quando leio coisas como essas vejo um sonho do Grande e Único Deus realizado em você:
    "Estes sinais acompanharão os que crêem: em meu Nome expulsarão demônios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes e se beberem algo mortífero não terão dano; se impuserem as mãos sobre os enfermos eles ficarão curados" Mc 16: 17, 18

    Quando um homem de Deus se preocupa com algo mais do que a própria salvação, os céus estão a seu favor.

    Parabéns pelo testemunho tão edificante.

    ResponderExcluir
  2. Que bela!!! Que lindo presente Deus te deu, sua varoa é linda. E a foto ficou excelente, viu? Quanto ao seu testemunho que maravilha, que bons frutos vc tem dado. Permaneça na videira, permitindo ser podado a cada dia para que vc dê ainda mais frutos que se revertam em glória para o Senhor.Um abraço meu irmão e dê um beijo na sua benção por mim.

    ResponderExcluir
  3. Tremendo!!!!!
    Eu acredito que está chegando o tempo de milagres que inundará a mediocridade da fé enlatada que se tem imposto por aí. Menos palavras e mais vida. Menos prisões e mais libertos.
    Que o Senhor te leve a gerar cada vez mais compaixão e a liberar cada vez mais a vontade do Pai.
    Me sinto honrado de ler esse testemunho. Muito obrigado.
    Um grande abraço
    graça e paz
    Franklin

    ResponderExcluir
  4. A DEUS toda a HONRA e GLÓRIA por usá-lo nestas ocasiões. Lamento que este Ministério entre os hispânicos não esteja ativo.

    ResponderExcluir